Sábado, 21 de Janeiro de 2012
A Dream and an Illusion (capítulo 13)

Eu: Ainda bem – olhei-o atentamente, a maneira como ele olhava a bebé, aquele orgulho que ele tinha que se via pelo olhar, aquele orgulho de ter uma irmã, já tinha passado por aquele lugar, sabia perfeitamente o que era ter a sensação de querer pegar nela – tens uma irmã muito linda, Afonso – subiu ligeiramente o seu olhar da bebé e sorriu-me com aquelas palavras -

Afonso: Sim, ela é linda – passou a sua mão na barriga da pequena com imenso cuidado e agarrou na mão da Débora para fazer o mesmo – olha Débora, ela está a adormecer, vês ?!

Eu: É, ela gosta muito dos vossos mimos – baixei-me um pouco para facilita-los e beijei a testa a cada um –

Carlota: Mana .. – sentou-se na cadeira ao meu lado e começou a balançar as pernas – a sensação de ter um mano é boa ?

Eu: É – sorri e dirigi o meu olhar ao dela – nunca sentis-te que alguém muito especial tivesse entrado na tua vida com a condição de permanecer lá sempre ?

Carlota: Mais ou menos – olhou-me confusa e cruzou as suas pernas – já senti, mas nessa altura ainda a mamã não estava com o bebé na barriga – encolheu os ombros –

Eu: Então, não estou a dizer isso amor, estou a dizer que a sensação é a mesma – sorri e com a mão livre fiz-lhe festas no cabelo –

Débora: Sim – deu um pequeno salto e subiu para a cama começando a caminhar até á minha tia –

Tia: Que queres pirralha ? – agarrou com cuidado na Débora que se sentou ao seu lado e sorriu-lhe –

Afonso: Quer mimos como a Margarida – riu-se e baixou a mão –

A porta continuava entre aberta, ouvia pequenos passos aproximarem-se dirigindo assim o meu olhar para a porta, cerrei um pouco os olhos e vi o meu tio entrar, sorri-lhe e levantei-me passando assim a pequena para os seus braços.

Eu: Bom trabalho – ri um pouco e beijei a bochecha da margarida – eu .. vou ver da minha mãe – lá voltava o meu coração a acelerar, parecia que queria saltar-me da boca, o medo começava a apoderar-se de mim outra vez, a sensação de que algo não ía correr bem, mas porque tanto medo ?! porque tanta insegurança ?! –

Tio: Vai, ela está com vontade de te ver, e acho que o pequeno também – deliciou-se com a filha que tinha no colo enchendo-a de pequenos beijos distribuídos por todo o seu rosto –

Eu: Já a viste ? – olhei-o seriamente com medo da resposta que sairia da sua boca, achava graça a este sentimento, apoderava-se de mim sempre que queria, sem autorização, mas ainda achava mais graça ao facto de ter medo de uma coisa que sabia que estava bem, coisa inexplicável –

Tio: Já, está no quarto á frente – tentou tranquilizar-me mas isso foi a mesma coisa que nada – ela está bem, ela e ele – sentou-se na cadeira que teria sido ocupada por mim á pouco tempo atrás –

Saí do quarto e andei, a cada passo que eu dava, tinha mais insegurança de abrir a porta e ver aquilo que não queria, o que é que eu queria mais ?! já sabia que eles estavam bem ! era isso que eu queria, eles bem, só isso, suspirei e pousei a mão na maçaneta da porta, abri-a e rapidamente fechei os olhos, entrei e respirei fundo, começando a ouvir um choro, não me era de todo desconhecido, era simplesmente diferente, um choro a rapaz, a menino, um choro de bebé, abri os olhos e vi a minha mãe encostada á cama a embala-lo.

Eu: Mãe .. estás bem ?! o mano está bem ?! tem alguma coisa ?! alguma doença ?! tem o peso suficiente ?! e a altura ?! – disse-o bastante rápido sinceramente, eu só acreditava no que via, e isto era a prova vida disso –

Mãe: calma, fala devagar – um sorriso apareceu-lhe nos lábios, era bom voltar a ver o sorriso que me dava força para continuar – sim, ele está bem, a altura também e o peso não se fala.

Eu: Não me estás a esconder nada, certo ? – aproximei-me e agarrei-lhe no rosto com as mãos, devagarinho para não lhe aleijar, e beijei a pontinha do seu nariz, era tão pequenino –

Mãe: Porque iria esconder ?! – esticou os braços e agarrei nele cuidadosamente –

Eu: Sim, tens razão – fixei o meu olhar nele, naquela doçura – como se vai chamar ? nunca me falas-te nisso – abanei o corpo ligeiramente num ritmo calminho –

Mãe: Também não sei, nunca pensei nisso – olhou para o bebé e de seguida para mim – como gostavas que ele se chama-se ?

Eu: Ahm .. João – olhei-o atentamente, cada tracinho do seu rosto, cada marca que tinha exclusivamente dele, aquele toque de menino perfeito –

Mãe: Então pronto, aí tens a resposta – continuei e sentei-me á beira da cama –

Eu: Oin, estou tão feliz, tinha saudades de sentir isto, saudades de sentir que alguém era meu, saudades de olhar para um bebé com orgulho, sim, ele, a Carlota e a Mariana são o meu orgulho – sorri e mexi nos seus pezinhos –

Mãe: Olha, o Tiago ligou-me e perguntou-me por ti – apoiou-se na cama e deu-me o telemóvel para a mão – liga-lhe .

Eu: Sim, vou fazer isso – devolvi-lhe o João para os braços e agarrei no telemóvel, digitei o numero e observei o ecrã antes de chamar. Saí do quarto e andei pelos corredores, entrei na casa de banho, e levei o telemóvel ao ouvido enquanto fechava a porta –

*Inicio da chamada*

Tiago: Inês – mantive silencio, as saudades não têm braços, mas apertam – Inês ? ..

Eu: Tiago – disse-o ligeiramente baixo, a voz começa a faltar-me, a vontade de dizer-lhe que lhe amava mas não conseguia, algo dentro de mim estava a proibir-me –

Tiago: Tenho saudades tuas – fechei os olhos e acenei com a cabeça –

Eu: E eu tuas – olhei para o tecto e sorri para o telemóvel –

Tiago: Preciso de te ver, de te sentir perto de mim, preciso de ter a certeza que estás bem e feliz.

Eu: E estou feliz, estou a falar contigo, estou a ouvir a tua voz – permaneci com um sorriso parvo nos lábios – e tu ? estás bem ?

Tiago: Sim, mas estaria melhor contigo nos meus braços – olhei para o espelho que me permitia ver o meu reflexo –

Eu: Não podes vir cá ? .. – suspirei e molhei a minha mão na agua passando-a na cara –

Tiago: Acho que sim, vou falar com os meus pais, e já te digo alguma coisa, amo-te – agarrei em panos e limpei a minha cara –

Eu: E eu a ti, até logo – desliguei e olhei para o ecrã enquanto sorria –

*Fim da chamada*

-------

Desculpem a ausencia, mas a imaginação anda desaparecida, mas pronto, tinha saudades de postar, saudades e saudades, como foi referido no capítulo anterior, ía iniciar já com o novo bebé, yeaah, espero que gostem, mesmo que não esteja nada de especial, e como eu sou uma fofa, digo-vos com muitoo atraso, feliz ano novo xD Desculpem, asério, eu sei que não me custava nada desejar pelo menos feliz 2012 mas enfim, espero que tenham um ano melhor que o anterior e que consigam tudo o que querem.

Xoxo*

 

Nova personagem:

João Barbosa, filho de Maria, sobrinho de Mónica, irmão da Inês, da Carlota e da Mariana e primo dos gémeos e da Margarida.



publicado por A Dream and an Illusion às 18:43
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito

.Welcome
* A fazer *
.Status
Nome: A Dream and an Illusion
Online desde: 15-10-2011
Versão: *
Design: Snow White Designs
.pesquisar
 
.posts recentes

. Todos têm a oportunidade ...

. A Dream and an Illusion (...

. A Dream and an Illusion (...

. A Dream and an Illusion (...

. A Dream and an Illusion (...

. A Dream and an Illusion (...

. Feliz Natal !

. A Dream and an Illusion (...

. A Dream and an Illusion (...

. A Dream and an Illusion (...

.arquivos

. Dezembro 2013

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Junho 2012

. Março 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

.Dezembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


.Design

.Link-me


some_text